Entre a Mente e a Consciência

Início|Blog|Entre a Mente e a Consciência

Em cada um de nós vivem dois lados que nos completam, estão em constante interação e funcionam em nosso favor quando somos capazes de os escutar corretamente. Falo da consciência e do mental.

O mental é de uma forma simples o local onde residem, as emoções, as inseguranças, os receios, o que nos deixa alerta enquanto seres humanos. Já a consciência é onde se encontram guardadas as nossas verdades, o nosso conhecimento interior que nos reconhece na essência e que nos guia de forma tranquila pelo “nosso” caminho.

Será que todos nós temos noção da presença destas duas “vozes” em nós? Eu acredito que sim, em algum momento da nossa vida somos visitados por duas vozes díspares, que nos fazem ter sentimentos distantes e nos fazem questionar. É muito comum escutarmos as pessoas dizerem que parece terem o anjo e o diabinho a falar-lhe, ambos em respostas opostas, deixando quem os escuta baralhados.

Quando na nossa vida nos questionamos sobre algo, a primeira resposta que escutamos vem da consciência, deixa-nos seremos e seguros, no entanto, a maioria de nós e assaltado de seguida por uma série de dúvidas que surgem do mental. Para que se perceba melhor fica um exemplo:

– você tem um emprego onde apesar de não ser exatamente o que mais gosta de fazer é seguro, há muito que deseja trabalhar na sua área de eleição. Quando menos espera, convidam-no para participar de um projeto novo, vai trabalhar na área onde se sente realizado, inicialmente com um contrato a prazo. A empresa tem renome e você conhece o trabalho que lá se faz. Quando se questiona sobre a mudança de trabalho, a primeira resposta que lhe surge é aceitar (consciência), mas logo de seguida é assaltado por uma série de questões:

  • E se “não me adaptar?”
  • E se não gostarem do meu trabalho?
  • E se terminado o contrato não o renovam?
  • Será que não devo ficar neste trabalho que pelo menos é seguro? (mental).

Para que a nossa vivência destes dois momentos seja real temos de nos conhecer e de aprender a escutar-nos, aos poucos a distinção entre a consciência e o mental é clara e benéfica. No entanto, é necessário ter a clara noção que o melhor para o ser humanos é conseguir estabelecer uma ação baseada no equilíbrio entre o mental e a consciência beneficiando deste no seu dia-a-dia. Não se deve eliminar o mental mas equilibrá-lo e aceitá-lo.

Comentários recentes...
By | 2017-05-25T23:05:18+00:00 Julho 6th, 2014|Blog|